Dê a sua opinião.
Considera que existem mais coelhos bravos que o ano passado?
 Sim
 Não
» » » Os Patos

 
Pato
 
Os patos pertencem á família dos Anatídeos, a qual engloba ainda os cisnes e os gansos (o cisne-bravo, cygnus cygnus, é excepcionalmente raro em Portugal, o ganso bravo-comum, Anser anser, visita-nos regularmente no Inverno e o ganso de fase negra, Branta bemicla e o ganso-campestre, Anser fabiles, são francamente ocidentais).
Em Portugal há representantes em quatro desses grupos: patos de superfície, patos mergulhadores, pato marinho e pato ganso.
 
 
Distribuição
  • Pode ser encontrado em todos os continentes, embora seja mais frequente nos Hemisfério Norte. É o pato ancestral da maioria dos patos que ao longo dos séculos foram domesticados.
  • Em Portugal era relativamente raro nas aglomerados populacionais, mas nos últimos anos houve uma progressiva invasão de lagos, rios, riachos, lagoas, charcos e até tanques artificiais e neste momento é praticamente impossivel encontrar um local com água doce, de pequena ou média dimensão, onde não existam patos-reais. Com a chegada destas aves aos grandes centros populacionais tornou esta espécie extremamente popular, já que as crianças e adultos passaram a contactar quase diáriamente com estes patos.
    Aos fins de tarde estas aves aproveitam para voar sós ou em grupo, sendo também uma excelente altura para observar o seu voar caracteristico e as suas formações.

 

Reprodução
  • A fêmea põe entre 6 e 15 ovos e as crias nascem entre 24 e 26 dias após o início da incubação. As patas são excelentes mães e controlam toda a sua prole por maior que seja.

Alimentação
  • Bagas, sementes, plantas aquáticas e também de rãs e insectos.

 

Dimensão e Peso

  • Esta espécie atinge em média cerca de 60 cm de comprimento e tem uma envergadura próxima de um metro, com as asas abertas em vôo. Pesam entre 1000 e 1400 gramas e podem viver mais de 20 anos.

 

Dimorfismo Sexual

  • Não é difícil distinguir entre machos e fêmeas. Os patos têm a cabeça verde e também um anel branco no pescoço, o corpo é mais acinzentado. As fêmeas têm um corpo e cabeça de tom castanho e são mais pequenas que os machos. Fora da época de reprodução estas diferenças são menos evidentes, mas continua a ser fácil distinguir entre machos e fêmeas, até porque o bico dos machos é sempre mais amarelo enquanto o das fêmeas é acastanhado.

© 2017 Federação de Caça e Pesca da Beira Interior |
Desenvolvido por Assec Sim!